A Covid-19 chegou com força ao Brasil e infelizmente já estamos na lista dos 10 países com maior número de mortos devido à enfermidade. Todos os dias acompanhamos as decisões, acertadas ou equivocadas, de nossos governantes, mas há um aspecto que sempre está presente, tanto nas experiências dos demais países como nos diferentes estados brasileiros: a prevenção.

Em um cenário pouco animador, em que não há prazo para uma vacina entrar no mercado nem um medicamento específico para a doença e em que cada dia surgem novas e prejudiciais consequências da Covid-19 para nosso organismo, prevenir-se é a solução que está ao alcance de todos. Ainda que faltem recursos para diversos grupos colocarem em práticas todas as medidas de segurança, parte deles pode ser aplicada imediatamente.

Por mais que o assunto esteja na mídia e os cuidados sejam cada vez mais divulgados, muitos estão relaxando nesse processo, como mostram os dados do governo do Estado de São Paulo, que vem controlando, pelos celulares, o deslocamento das pessoas: apenas 48% da população do estado está mantendo a importante medida do isolamento social, quando o índice deveria ser de 70%.

Por isso lembramos aqui das medidas de prevenção para evitar ao máximo se expor ao coronavírus. Muitas delas já são determinadas por decretos, mas algumas dependem apenas do nosso autocuidado e bom senso. Confira:

 

Isolamento social
A experiência de outros países já mostrou que o isolamento é das principais medidas para combater o Coronavírus. Como o vírus é de fácil disseminação e muitas pessoas são assintomáticas, permanecer em casa, para quem o trabalho assim permite, é essencial. Restrinja as saídas apenas ao necessário, como idas a mercados ou farmácias, lembrando que em diversas cidades os serviços de delivery estão funcionado a todo o vapor e são o mais indicado para evitar a exposição. Isolar-se significa ter contato apenas com quem mora com você. Ou seja, aquela visita à mãe ou ao avô não é permitida se você quer seguir a risca o recomendado pela Organização Mundial de Saúde.

 

Uso de máscaras

As autoridades sanitárias concluíram que o uso de máscaras mesmo para quem não está doente pode ajudar a minimizar as contaminações, tanto que muitos municípios estão obrigando seu uso. Utilize máscaras todas as vezes que precisar sair de casa. Elas podem ser adquiridas em farmácias ou dos muitos empreendedores que estão fazendo o material de tecido em casa. Você também pode confeccioná-la. Neste link há um passo a passo da Anvisa com orientações para fazer sua própria máscara: http://portal.anvisa.gov.br/documents/219201/4340788/NT+M%C3%A1scaras.pdf/bf430184-8550-42cb-a975-1d5e1c5a10f7

 

Limpeza

A higienização, tanto das mãos quanto do ambiente, é uma das chaves para a prevenção da doença. Lave sempre as mãos e os braços com água e sabão, fazendo bastante espuma, ou utilize álcool em gel 70% se estiver na rua. Sua casa também deve ser limpa com frequência, com água sanitária ou álcool 70%, e mantida ventilada. Não se esqueça de higienizar o celular e os brinquedos das crianças. A higienização vale também para tudo que entrar na sua casa, como os produtos do mercado.

 

Hábitos

Neste momento é preciso reavaliar alguns hábitos: deixe calçados do lado de fora da casa, evite tocar olhos, nariz e boca com as mãos não lavada e, ao tossir ou espirrar, cubra o nariz e a boca com lenço ou com o braço, e não com as mãos. É preciso também tentar manter uma alimentação saudável e o sono regular, que ajudam na sua imunidade.

 

  

Fontes:

Governo do Estado de SP – “Isolamento social em São Paulo é de 48%, aponta Sistema de Monitoramento”

Ministério da Saúde – “Coronavírus: como se proteger”

Fonte da imagem: https://www.shutterstock.com/pt/image-photo/woman-wearing-anti-virus-protection-mask-1678274461

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Ingresse seu nome

quatro × três =