Entenda como o consumo regular de peixes beneficia a memória

Por que faz bem?

O ômega 3 é um ácido graxo, conhecido como “gordura do bem”, porque participa de diferentes e importantes funções para a saúde. Uma delas é fazer parte das células cerebrais, compondo a membrana externa dos neurônios e possibilitando que a transmissão de informações entre eles seja feita de forma mais rápida e eficiente. O ômega 3 também protege os neurônios dos radicais livres, possui ação anti-inflamatória e melhora a concentração e a memória. As maiores fontes do ômega 3 são os peixes de água fria e salgada, como o salmão, a sardinha, o atum e a anchova.

Benefício certo

Um estudo realizado na Finlândia e publica¬do nos Estados Unidos, na revista Neurology, da American Academy of Neurology, revela que o consumo regular de peixes ricos em ômega 3 diminui em 26% o risco de perda de memória e de acidente vascular cerebral (AVC) em idosos. Participaram da pesquisa 3.660 homens e mulheres com mais de 65 anos, que foram submetidos a um exame cerebral para detectar pequenas lesões e, cinco anos mais tarde, foram examinados. Eles também responderam diferentes per¬guntas sobre os seus hábitos alimentares e o consumo de peixe. O resultado apontou que aqueles que regularmente consumiam o alimento sofreram menos alterações cerebrais comparados àqueles que não tinham o mesmo hábito.

Mantenha o Alzheimer longe

Um estudo apresentado em 2011, no encontro anual da Sociedade Americana de Radiologia, concluiu que pessoas que comem peixe cozido ou grelhado semanalmente apresentam menores chances de desenvolver transtorno cognitivo leve (TCL) e Alzheimer. Duzentas e sessenta pessoas participaram da pesquisa e informações sobre o consumo de peixe foram coletadas usando o Questionário Sobre Frequência Alimentar, do Instituto Nacional de Câncer dos Estados Unidos. De todos os participantes, 163 consumiam peixe semanalmente, a grande parte uma ou duas vezes por semana. Todos realizaram uma ressonância magnética no cérebro para que os pesquisadores pudessem relacionar o volume da massa cinzenta com o consumo de peixe semanal em 1O anos. Ao final da pesquisa, os resultados mostraram que aqueles que consumiam peixe cozido ou grelhado ao menos uma vez na semana tinham uma melhor preservação da matéria cinzenta, ou seja, da região do cérebro que possui o corpo das células nervosas e que envolve áreas relacionadas à memória, emoções, fala e controle muscular.

Quanto consumir?

Um filé (100g), no mínimo, duas vezes por semana.

Os mais ricos em ômega 3

(para cada 100g do alimento)

Sardinha – de 1,5g a 2,5g

Salmão – de 1g a 1,4g

Atum – de 0,5g a 1,6g

A quantidade recomendada pela National Academy of Sciences é de 1g a 1,5g por dia.

Fonte: Cozinha Prática Emagreça com Saúde 2 – Vol. 3 – Pág. 10

 

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Ingresse seu nome

6 + 18 =