Algumas situações, como aquelas em que o medo e a dúvida estão presentes, podem desencadear ou acentuar crises de ansiedade. O isolamento social que está em andamento para a prevenção da Covid-19 é um desses momentos que, por mais que aceitemos como necessário, envolve uma série de dificuldades e altera de maneira abrupta nossa maneira de encarar a realidade.

O transtorno de ansiedade é dos principais transtornos mentais que atingem a população. No entanto, há níveis de ansiedade e existem critérios para definir quando a característica se transforma em enfermidade e passa a afetar a saúde. De um lado temos diversas situações do dia a dia que podem gerar ansiedade, como os momentos que antecedem uma prova, uma cirurgia ou uma viagem para um lugar distante. Já o transtorno de ansiedade generalizada (TAG) é um distúrbio caracterizado por uma preocupação excessiva ou expectativa apreensiva, que é persistente, de difícil controle e que perdura por no mínimo seis meses. Além disso, outros fatores acompanham essa ansiedade, como inquietação, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração, tensão muscular, perturbação do sono, taquicardia e falta de ar.

A ansiedade, não há dúvidas, interfere na qualidade de vida e no bem-estar do ser humano.  De acordo com o psiquiatra Rodrigo Guimarães, em matéria para o Globo, neste momento de quarentena é importante manter a calma e mentalizar que a crise é transitória. “O que a gente percebe é que, no começo, as pessoas ainda estavam empolgadas, num clima meio de férias. Depois, passaram a `inovar´, como cantar na varanda. Agora, começa uma fase mais difícil, em que a falta de afeto, de encontro, de estar socialmente ativo, começa a bater, e a ansiedade vai se tornando uma tristeza, que se mistura com o medo da própria doença, que tem chegado em parentes e conhecido”, ele explica. Segundo o psiquiatra, é possível contornar a situação. No entanto, é preciso estar atento porque a ansiedade pode se agravar, principalmente em quem já tem tendência.

A própria Organização Mundial da Saúde (OMS), preocupada com a saúde mental da população, publicou um guia com orientações para preservar o bem-estar durante a pandemia. Confira algumas delas e sugestões de outros especialistas:

Limite o acesso às notícias

Basta abrir os principais sites de notícias para perceber que a pandemia ocupa grande parte do noticiário. Informar-se é importante, mas é preciso evitar o bombardeio de notícias sobre a crise, o que gera ansiedade ou estresse. É importante buscar informações de fontes com credibilidade, uma ou duas vezes ao dia apenas, e evitar os boatos, que acabam por ampliar o medo.

Atue em comunidade

Proteger a si próprio e a sua comunidade é essencial. O apoio aos demais em seu momento de carência pode ajudar a quem recebe, mas também a quem oferece ajuda. Atuar em rede e prestar solidariedade auxiliam no enfrentamento da situação.

Mantenha contato

Apesar do isolamento social, é possível, com os recursos digitais, ficar próximo de amigos e famílias. Telefonemas, mensagens e teleconferências são recursos para manter nossos vínculos ativos e minimizar a ansiedade.

Tenha uma rotina estabelecida e saudável

A rotina é essencial para controlar a ansiedade. Ficar em casa sem um planejamento das tarefas pode aumentar a sensação de estar à deriva. Envolver-se com atividades saudáveis e relaxantes também ajudam: exercício constante, sono regular e dieta balanceada são aliados nesse momento.

Procure ajuda

A ansiedade pode se tornar um sintoma patológico durante o isolamento. Por isso, é importante procurar ajuda de um psicólogo se a situação estiver ficando muito difícil de enfrentar. Muitos terapeutas estão fazendo atendimento on line, facilitando o tratamento.

 

Fontes: 

OMS – “Saúde mental durante a pandemia de Covid-19”

O Globo – “Coronavírus: saiba como enfrentar a crescente ansiedade provocada pela quarentena”

Saúde – Editora Abril – “Coronavírus: como preservar a saúde mental durante a pandemia”

Fonte da imagem: https://www.shutterstock.com/pt/image-photo/sad-woman-sitting-on-sofa-living-641208637

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Ingresse seu nome

2 × 3 =