Ele sustenta o peso de todo o corpo e, se não receber atenção, vai pedir arrego. Confira os principais cuidados que você deve ter com os ossos.

De frente ao espelho qualquer ruga nova, manchinha estranha ou um músculo mais flácido são facilmente identificados e providenciados os devidos “reparos”. Acaba sendo comum cuidar mais do envelhecimento estético, ou então, só lembrar da saúde quando se sente alguma dor. Mas e quando algo errado não pode ser visto e nem sentido? Doenças nos ossos é um desses casos. Porém, a atenção com essa parte do corpo é fundamental para vivermos sempre bem.

Osteoporose

Diagnosticada principalmente entre pessoas acima de 60 anos, na maioria mulheres, a osteoporose é uma doença silenciosa, que não tem sintomas e não dói, mas impacta (e muito) a vida das pessoas doentes.

Apesar de atingir mais quem está na terceira idade, a prevenção deve ser feita desde cedo. “A melhor maneira de evitar a doença é na infância e na adolescência, quando as crianças mais precisam de leite e exercícios”, alerta o ginecologista Sérgio dos Passos Ramos. Esses dois cuidados fazem com que os ossos se desenvolvam mais fortes. A prática de exercícios ajuda o cálcio a se fixar no organismo e consumir alimentos ricos em vitaminas A e D, como abacate e peixes, também interferem na fixação.

A substituição, cada vez mais comum, do leite por produtos similares com pouco teor de cálcio é lembrada pelo especialista, o que é uma questão de alerta, já que essa escolha acaba tendo reflexos no futuro.”Expor-se ao sol em pequenas quantidades nos horários da manhã também é recomendado para fortalecer os ossos, pois o corpo produz vitamina D, destaca Ramos.

Por serem as mais afetadas pela doença, as mulheres precisam ter cuidados especiais. A partir dos 45 anos, época da menopausa, elas devem procurar o ginecologista para fazer tratamento baseado em terapia hormonal. “O osso é um tecido vivo, destruído e reformado diariamente. Na menopausa, a remodelagem óssea é mais lenta que a destruição, o que acarreta a formação de grandes lacunas do osso, diminuindo sua resistência. É isso que chamamos de osteoporo-se”, explica.

Tabela

CADA IDADE, UMA QUANTIDADE

(consumo diário recomendado)

0 – 6 meses 210mg

7-12 meses 270mg

1 – 3 anos 500mg

4 – 8 anos 800mg

9 -18 anos 1300mg

19-50 anos 1000mg

Acima de 50 anos 1200mg

FONTE: HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEIN

Uma das consequências mais graves da doença é a fratura vertebral, que na realidade é o encurtamento da coluna, deixando a pessoa com menos altura. Fraturas em outras regiões do corpo, como perna e fémur, também são comuns.

Coluna

Vida sedentária, excesso de peso e postura inadequada são os principais fatores daquela dorzinha (ou uma dor enorme!) na coluna, que se não for tratada de forma adequada, pode se transformar em graves problemas de saúde. Se ela existe é porque algo está errado! Tomar um simples analgésico ou anti-inflamatório só vai fazer com que a dor passe temporariamente. O que realmente vai ajudar na melhora é procurar um especialista.

“Controlar o peso corporal, fazer atividades físicas regularmente e manter a boa postura para todas as atividades do dia a dia”, essa é a receita para ter uma coluna saudável, de acordo com o ortopedista Adalto Lima. O importante é seguir essas indicações durante toda a vida, já que medidas imediatistas podem ser sentidas no futuro. O especialista explica que qualquer atividade física, realizada de forma correta, é capaz de melhorar a postura, mas ele destaca aquelas nas quais exige-se um bom posicionamento do corpo, como yoga, balé e karaté.

Segundo o ortopedista Ricardo Ferreira, o desleixo com a postura durante os anos “pré-terceira idade” resultam em desgaste precoce de articulações e dores musculares. E se engana quem pensa que o desconforto na coluna tem a ver somente com a idade: “Os problemas na coluna estão mais ligados à forma como ela é utilizada do que com a idade. Mas, logicamente, quanto mais tempo se sobrecarrega o esqueleto, piores serão as consequências”, alerta o profissional.

Tabela

ONDE ENCONTRAR CÁLCIO

(valores em mg)

Agrião 100g 133

Amêndoa 100g 237

Brócolis 100g 86

Camarão 100g 960

Coalhada 100g 490

Gergelim 100g 825

Iogurte natural desnatado 100g 157

Leite 100g 123

Queijo de minas fresco 100g 579

Fonte: TABELA BRASILEIRA DE COMPOSIÇÃO DE ALIMENTOS (TACO), DA UNICAMP

Fonte: Cozinha Prática Emagreça com Saúde 2 – Vol. 2 – Págs. 28 e 29

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Ingresse seu nome

15 − 13 =